"O grande responsável pela situação de desequilíbrio ambiental que se vive no planeta é o Homem. É o único animal existente à face da Terra capaz de destruir o que a natureza levou milhões de anos a construir"





sábado, 30 de abril de 2011

Pulicaria odora (L.) Rchb.

Erva-montã
A Pulicaria odora é mais uma pequena obra-prima da natureza, não só pela beleza das suas flores mas sobretudo pela forma como rentabiliza os seus recursos no sentido de se reproduzir e perpetuar a espécie. 

Esta planta pertence à família das Asteraceae também denominada Compositae, sendo o tipo como se dispõem as flores a principal carateristica comum destas espécies.

A Pulicaria odora é uma planta herbácea perene de pequeno porte atingindo de 30 a 40 cm de altura, escassamente ramificada e com caules cobertos de pelos.
A planta desenvolve-se a partir de um conjunto de folhas rentes ao solo e em forma de roseta, chamadas folhas basais. Estas são relativamente grandes, de forma lanceolada e com o pecíolo curto.
As folhas do caule são mais pequenas e amplexicaules, isto é, envolvem parcialmente o caule. As folhas são peludas, na página inferior.

As flores reunem-se em inflorescências  do tipo capitulo, dispostos sobre pedúnculos mais grossos na parte superior.

Embora pareçam uma flor única os capítulos são formados por muitas flores tubulares, reduzidas no tamanho e agrupadas de uma forma muito compacta, diretamente sobre um disco. As flores periféricas deste disco apresentam prolongamentos unilaterais em forma de pétalas, a que se chamam lígulas, o que no conjunto dá o aspeto semelhante a uma flor “normal”, muito atraente para os insetos. Desta forma a planta faz economias de esforço, uma vez que apenas algumas flores desenvolvem pétalas, canalizando assim mais energias para a produção de sementes.
As flores são amarelas, assim como as lígulas, que são compridas e estreitas. As flores do disco estão providas de órgãos femininos e masculinos funcionais.

Toda esta estrutura está envolvida por brácteas (folhas modificadas com função de proteção) que aqui exercem uma função análoga à das sépalas nas flores “normais”. As brácteas da Pulicaria odora são lineares, peludas e com a extremidade aguda e ligeiramente curva.
Os frutos são secos, com uma só semente e designados por cipselas. Estes frutos sao dispersos pelo vento, ou por animais através da ajuda do papilho que é uma estrutura derivada das sépalas e que geralmente consiste numa coroa de pelos que se insere numa das extremidades do fruto.
A Pulicaria odora floresce de maio a agosto e aparece por todo o sul da Europa e norte de África , em zonas do litoral com preferência por solos secos e ácidos.
A Pulicaria odora é uma planta com propriedades calmantes sendo utilizada nas afeções dos sistema nervoso e digestivo.

Texto e fotos de:
Fernanda Delgado do Nascimento  http://floresdoareal.blogspot.pt/


(exceto quando especificado).

Fotos - Caniçal/Lourinhã

Sem comentários:

Enviar um comentário