"O grande responsável pela situação de desequilíbrio ambiental que se vive no planeta é o Homem. É o único animal existente à face da Terra capaz de destruir o que a natureza levou milhões de anos a construir"





segunda-feira, 11 de abril de 2011

Anthyllis vulneraria L.

Vulnerária  

È uma espécie coberta de cílios sedosos com muitas variedades e subespécies bem representadas em Portugal, sendo por vezes difícil distingui-las. Podem ser prostradas, trepadeiras ou mesmo eretas.
Normalmente perene, esta espécie pode comportar-se como anual e desenvolve-se nas areias das dunas interiores, onde surge dispersa no meio de outras plantas. Encontra-se também em matos, charnecas, pinhais e outros locais áridos ou arenosos.
Anthyllis vulneraria uma planta herbácea e peluda, de caules ramificados e deitados sobre o solo.
As folhas inferiores são simples, de forma elítica ou oblonga e as restantes têm vários folíolos dispostos aos pares sendo o folíolo terminal quase sempre maior que os laterais.
A página inferior das folhas é muito sedosa.

As flores desprovidas de pedicelo estão dispostas em capítulos, geralmente aos pares, no cimo do caule e dos ramos.
O cálice é esbranquiçado e bastante intumescido após a fecundação. Nesta espécie a corola é de cor vermelha, havendo outras espécies com flores de cor amarela, laranja or branca.

 
Cada inflorescência é protegida por brácteas verdes profundamente recortadas e facilmente visíveis.
 Esta planta é muito visitada por insetos que transportam o pólen, de flor em flor. Mas caso as plantas estejam situadas em locais isolados, fora do alcance dos insetos, as flores autopolinizam-se.
A Anthyllis vulneraria é uma espécie nativa do sul da Europa, sudoeste da Ásia e norte de África.
Os frutos são vagens planas com 1 a 2 sementes.
Esta planta floresce de abril a Junho.
A Anthyllis vulneraria é uma planta da família das Fabaceae/Leguminosae, subfamília das Papilionaceae. Tem sido muito utilizada pelos ervanários tradicionais no tratamento de contusões e queimaduras, servindo para estancar hemorragias e acelerar a cicatrização de feridas.

Texto e fotos de:
Fernanda Delgado do Nascimento  http://floresdoareal.blogspot.pt/

(exceto quando especificado).

Fotos - Caniçal/Lourinhã

Sem comentários:

Enviar um comentário