"O grande responsável pela situação de desequilíbrio ambiental que se vive no planeta é o Homem. É o único animal existente à face da Terra capaz de destruir o que a natureza levou milhões de anos a construir"





quinta-feira, 17 de março de 2011

Arctotheca calendula (L.)Levyns

ERVA GORDA

 A Arctotheca calendula é uma espécie pertencente à familia botânica das Asteraceae ou Compositae, fácilmente reconhecível pela sua flor característica, tipo malmequer.
É uma planta muito vistosa, infelizmente também uma terrível invasora. Esta planta é nativa da África do Sul mas foi introduzida acidentalmente ou com fins ornamentais noutras regiões entre as quais, Australia, Nova Zelandia, Peninsula ibérica e Estados Unidos onde se naturalizou com grande rapidez e onde é agora considerada uma invasora muito difícil de erradicar.
Em Portugal é proibido o seu cultivo ou uso como planta ornamental pois apresenta um comportamento invasor manifesto sendo uma espécie muito perigosa para os ecossistemas naturais nomeadamente os sistemas dunares. Esta planta reproduz-se com grande facilidade e rapidez pois não só lança grandes quantidades de sementes que perduram no tempo, como também produz estolhos subterrâneos que formam novas plantas. Desta forma ocupa os espaços de forma exagerada, abafando as plantas nativas. Vale a pena recordar que se entende como “espécie invasora” uma espécie suscetível de, por si própria, ocupar o território de uma forma excessiva, em área ou em número de indivíduos, provocando uma modificação significativa nos ecossistemas.
A Arctotheca calendula, vulgarmente conhecida por Erva Gorda, é uma planta herbácea de pequena envergadura, de ciclo anual, sem caule ou com caules folhosos deitados sobre o solo, desenvolvendo-se a partir de uma roseta basal.
As folhas são de cor verde escuro, dispostas de forma alternada e divididas em segmentos até meio do limbo, com o segmento terminal arredondado e muito maior que os laterais. A página superior das folhas tem pelos finos que são muito mais densos e moles na página inferior, formando um feltrado esbranquiçado dificilmente é visível à vista desarmada.
As inflorescências dispõem-se em capítulos solitários com 3 a 5 cm de diâmetro, no topo de longos pedúnculos, peludos e sem folhas.


As flores do disco são negro-esverdeadas. As flores marginais do disco são estéreis apresentando lígulas amarelas mais pálidas na parte superior e com laivos púrpura na parte dorsal. As flores do interior do disco são tubulares e hermafroditas.
 Este conjunto é protegido por um invólucro de brácteas dispostas em varias linhas imbricadas, as externas herbáceas com margem membranosa seca, as internas completamente membranosas e secas e terminando em ângulo obtuso.
Os frutos são cipselas, isto é, frutos secos com uma só semente e formados por uma parte basal, o aquénio, que está provido de pequenos ganchos densamente lanosos para favorecer a sua adesão ao pelo dos animais, e de um ápice plumoso, o papilho, geralmente em forma de guarda-chuva, o que facilita a dispersão pelo vento.
Esta planta vive preferencialmente em locais húmidos mas também ocupa zonas arenosas e áridas, florescendo de março a junho.
SOBRE AS INFLORESCÊNCIAS EM CAPÍTULO:
Já sabemos que a inflorescência é a disposição das flores numa planta. O capítulo é um tipo de inflorescência que apresenta muitas flores reduzidas agrupadas de uma forma muito compacta diretamente sobre o receptáculo em forma de disco. As flores periféricas deste disco apresentam um prolongamento em forma de pétala (as lígulas) o que, no conjunto, dá o aspecto semelhante a uma flor “normal”. As ligulas são sempre muito vistosas e são elas que atraem os insectos polinizadores para as flores no disco. Toda esta estrutura está envolvida por brácteas que são folhas modificadas com função de proteção tal como as sépalas nas flores “normais”

Texto e fotos de:
Fernanda Delgado do Nascimento  http://floresdoareal.blogspot.pt/

(exceto quando especificado)..
Fotos - Arribas da Praia do Caniçal/Lourinhã

2 comentários:

  1. Obrigado gostei muito este info, e mesmo o que eu estava a procurar! Muito obrigado. Agora trabalho numa horta através dos princípios da permacultura, isto tudo e uma grande ajuda...escalhar interessante para ti, www.agendagotsch.com

    ResponderEliminar
  2. Ola Surfer,
    Ainda bem que conseguiu a informaçao que desejava, espero que outras paginas do meu blog lhe sejam uteis também. Muito interessante o sistema de agricultura que está a utilizar, parabens e felicidades.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar