"O grande responsável pela situação de desequilíbrio ambiental que se vive no planeta é o Homem. É o único animal existente à face da Terra capaz de destruir o que a natureza levou milhões de anos a construir"





quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Lonicera implexa Aiton

Madressiva, Madressilva-entrelaçada

As madressilvas pertencem à família das Caprifoliaceae, constituída predominantemente por arbustos e árvores de pequeno porte, muito frequentes nas regiões mediterrânicas. Crescem de preferência em terrenos baldios, na orla dos bosques e até nos matagais do litoral.
Entre as espécies de madressilvas existentes em Portugal, algumas são sivestres, outras cultivadas com fins ornamentais pela beleza e fragância das suas flores. Sabemos que três espécies são nativas, entre elas a Lonicera implexa Aiton, que encontrei generosamente implantada nas arribas da Praia do Caniçal.
É um arbusto trepador, de folha perene que se apoia noutras plantas para se elevar do solo. Pode atingir até 2 metros de altura. Os caules são lenhosos mas flexíveis, com terminações muito ramificadas.
As folhas são simples, opostas, de formato elíptico, de cor verde-escura, sendo brilhantes na página superior e verde-pálido na página inferior.
As flores estão reunidas numa inflorescência que nasce da base de uma folha e é formada por tubos rosados que ao abrirem mostram cinco pequenas pétalas branca. As flores são muito perfumadas e atraiem as borboletas noturnas que nelas colocam os ovos e ao fazê-lo, asseguram a polinização.
A floração dá-se de abril a agosto. 

Os frutos são bagas avermelhadas e nascem também na base de uma folha.

As folhas e as flores da madressilva parecem ter propriedades antissépticas, diuréticas, laxativas e adstringentes. No entanto os frutos são tóxicos e se ingeridos, provocam vómitos e diarreias.

Texto e fotos de:
Fernanda Delgado do Nascimento  http://floresdoareal.blogspot.pt/

(exceto quando especificado).


Fotos - Arribas do Caniçal/Lourinhã

Sem comentários:

Enviar um comentário