"O grande responsável pela situação de desequilíbrio ambiental que se vive no planeta é o Homem. É o único animal existente à face da Terra capaz de destruir o que a natureza levou milhões de anos a construir"





terça-feira, 7 de junho de 2016

Preservação das dunas da Areia Branca

Nunca é demais frisar a importância das dunas costeiras, como é o caso das dunas da Areia Branca/Lourinhã. Para além de serem espaços de grande diversidade biológica, as dunas estabelecem a transição entre o meio marinho e o ambiente terrestre agindo como barreira natural, impedindo a progressão do mar para o interior.
Sendo constituídas por uma acumulação de materiais arenosos de consistência muito precária, a estabilidade das dunas depende da manutenção do coberto vegetal. Assim, a vegetação desempenha um papel de primordial importância na sua formação e manutenção, pois são as plantas que ajudam a fixar as areias, prevenindo a erosão provocada pelos ventos, pela chuva e ondas do mar. 
Centaurea sphaerocephala
As espécies que vivem nas dunas são todas plantas especificamente adaptadas ao ambiente hostil em que vivem (ar carregado de partículas de sal, intensa luminosidade, falta de agua e nutrientes). A sua vida e sobrevivência são difíceis mas, apesar de tudo, conseguem apresentar lindas flores e agradáveis aromas.
Este passadiço, que se inclui na ciclovia que liga a praia à Lourinhã, permite agradáveis passeios nas dunas sem prejudicar as plantas
Felizmente, as entidades competentes da região parecem ter-se apercebido da deterioração que se regista em certos locais das dunas e algumas medidas começam a ser postas em marcha, o que não só promove a reconstrução dunar mas também aumenta o potencial turístico e a qualidade de vida das populações.
Numa louvável iniciativa, que teve como objetivo dar a conhecer e sensibilizar a população para a importância da preservação das espécies autóctones do sistema dunar da Areia Branca, o Município da Lourinhã assinalou  o Dia Mundial do Ambiente, a 5 de junho, com a plantação de 12 espécies autóctones do sistema dunar local, preenchendo dois canteiros, junto à Foz do Rio Grande. 
As espécies estão identificadas numa placa informativa afixada no local.
A assistir a este evento estiveram algumas dezenas de passeantes, entre eles várias crianças que também colaboraram na plantação das espécies. Estiveram ainda presentes o presidente da câmara, João Duarte de Carvalho, o técnico do Município responsável por este projeto Nuno Vinagre e o presidente da União das Freguesias de Lourinhã e Atalaia, Pedro Margarido.
Ao que consta, novas iniciativas estão já em planeamento, entre as quais se incluem o repovoamento dos espaços deteriorados das dunas e a eliminação de espécies invasoras, como é o caso dos chorões (Carpobrotus edulis) que são extremamente prejudiciais ao desenvolvimento e sobrevivência das plantas dunares autóctones.
Veja mais sobre as dunas AQUI, AQUI.

Fotos: Praia da Areia Branca/Lourinhã

Sem comentários:

Enviar um comentário